Shadow of the Tomb Raider: primeiras impressões + Trailer completo

30.4.18


À convite da Square Enix e Crystal Dynamics, fansites de todo o mundo estiveram presentes em grandes eventos oficiais de revelação de Shadow of the Tomb Raider, onde puderam conhecer as novidades do game e jogar um pouquinho do que vem por aí.



Estive presente no evento de Londres, no Reino Unido. Logo que chegamos à The Welsh Chapel, somos arrebatados à uma ambientação mexicana, com flores, cruzes e velas – que anunciam algum tipo de comemoração local, que acredito ser o Día de los Muertos. A estrutura do lugar remete à algo antigo e imponente, assim como o novo game da sobrevivente Lara Croft. Em espaços reservados e dentro do evento estão grandes telas com uma demonstração completa e final do game pronta para ser jogada pelos presentes. E lá fomos nós...



A demo de Shadow of the Tomb Raider inicia-se com uma animação de um diálogo entre Lara Croft e Jonah, em um bar mexicano. Lá, eles discutem a possibilidade de que a Trinity estivesse alcançando seus objetivos de encontrar algo grandioso em uma localização perto de um vilarejo do país. A Amazônia no Brasil é um provável lugar, mas Lara descobre que Peru é a localização correta. Lara parte, então, à uma perseguição contida e discreta ao líder da expedição, Dominguez. É neste momento que assumimos o controle da protagonista.



A jogabilidade é parecida com a de Rise of the Tomb Raider. A falta de precisão da câmera e nos momentos de Lara incomoda um pouco, o que talvez seja melhor ajustado na versão completa do jogo. No início, Lara caminha silenciosamente, coberta com um poncho encapuzado e máscara comemorativa, enquanto esbarra e interage com os festeiros do vilarejo (a possibilidade de diálogos e interações depende do jogador, já que podemos conversar com os personagens através do botão de ação). A arqueóloga agora mantém contato com Jonah através de seu apoio auricular, assim como fazia em jogos anteriores. O ambiente é muito bem detalhado, assim como os personagens presentes nele, com iluminação e texturas interessantíssimas. Lara tem uma aparência mais madura, parecida com a de Tomb Raider: Underworld e suas motivações são as de uma mulher muito mais experiente. Foi anunciado pelos desenvolvedores que o game terá a mecânica “Vivenciando a História”, que dará uma experiência ainda mais aprofundada com os personagens secundários e ambientes. O projeto ainda se encontra em desenvolvimento e estará na versão final do game.



Ataques furtivos estão ainda mais presentes no game. Agora, Lara pode se esconder em vegetações nas paredes, atacando inimigos com mais facilidade. Ela começa a sua jornada com os mesmos equipamentos dos jogos anteriores (arco-e-flecha, pistola, faca e machadas de escalada). A novidade, agora, é a lanterna, que permite uma melhor exploração do ambiente, e também a maior interatividade com a faca. O sistema de combate está ainda mais complexo (de um jeito bom) e mais sanguinário. Outro ponto interessante é a possibilidade de fazer rapel. Quando estamos escalando com os machados, no final de uma parede, é possível alternar para o rapel, que permite balançarmos para outros lados ou simplesmente descermos com mais facilidade de alturas maiores. Provavelmente a melhoria de armas ainda esteja presente, já que ainda é possível coletar fragmentos e acumular pontos de experiência – presentes em artigos muito interessantes e bem escondidos nos níveis.



Como os fãs pediram, os puzzles estão ainda mais presentes. Em cerca de uma hora de jogabilidade, foi possível experimentar vários puzzles, como o principal, no qual Lara precisa movimentar um carrinho de madeira de carga antigo para poder avançar no ambiente – no caso, uma tumba que lembra muito o visual de Tomb Raider: Legend. Isso tudo com a utilização de cordas e equipamentos que a aventureira possui. As tumbas, aliás, como anunciado pela equipe do game, estarão mais presentes e muitas delas serão obrigatórias (farão parte do enredo e avanço do game). Neste pequeno trecho, já deu pra perceber que os fãs poderão esperar muito do que foi visto nos games mais clássicos, como a possibilidade de nadar embaixo d’água (o trecho que joguei está muito bom e claustrofóbico - do jeitinho que conhecíamos nos games clássicos). Chego a afirmar que muitas vezes me senti jogando a trilogia Legend/Anniversary/Underworld, com pitadas dos mais clássicos.



Shadow of the Tomb Raider parece-me um grandioso jogo, que não apenas carrega toda a bagagem dos outros dois games do reboot, mas inspira-se no que sempre deu certo através de todos esses anos de Tomb Raider. Com melhorias na protagonista, ambientação, atmosfera e enredo, é uma receita que pode dar muito certo e convencer até os fãs mais exigentes. O foco não está mais na sobrevivência de Lara, nem no legado de seu pai. O foco é no que a personagem se molda e no mundo que ela descobre. É o fim do início e, finalmente, veremos como Lara Croft se torna a conhecida Tomb Raider.



Shadow of the Tomb Raider chega às lojas no dia 14 de setembro, nas versões para Xbox One, Playstation 4 e PC. Reveladas no próprio evento, estas serão as edições do jogo:



Se quiserem saber mais detalhes sobre o que foi visto, não se contenha em escrever um comentário ou entrar em contato através da nossa fanpage no facebook!


Um agradecimento especial à Square Enix, que convidou e patrocinou a viagem à Londres para que fosse possível essa cobertura, à Meagan Marie, gerente da comunidade, que nos acolheu com muito carinho e dedicação e à todos os fãs e equipe presentes, que fizeram deste um grande evento.

Share this

Postagens relacionadas

Último
Anterior
Anterior »